Fernando Santos: «Alemanha também vai ter de adaptar-se a Portugal»

Portugal 18-06-2021 14:43
Por Redação

Fernando Santos já fez, esta sexta-feira, uma primeira abordagem, aos microfones da SportTV, ao encontro de amanhã diante da Alemanha, a contar para a segunda jornada do Grupo F do Euro-2020.

 

«Portugal vai ter de manter o que fez bem, exceto em alguns momentos na segunda parte, em que a Hungria conseguiu aproveitar para ter mais bola e chegar mais perto da nossa baliza. Agora, há sempre coisas a melhorar, a nota 10 ninguém atinge. Estivemos muito bem, mas este jogo tem características diferentes, desde logo na disposição dos jogadores. Portugal e Alemanha são duas equipas muito fortes. Basta contar o número de jogadores alemães que estiveram na final da última Liga dos Campeões. A Alemanha quer muito ter bola, que ser um rolo compressor e empurrar o adversário para trás como bola. Depois, ataca a profundidade, mas de mais perto e não em contra-ataque. Eles também vão ter de se adaptar. Nós somos diferentes da França. Vamos ver o que Alemanha faz e tentar controlar a Alemanha também. Agora é certo: temos de ter bola, ser o que costumamos ser.»

 

A Mannschaft costuma alinhar em 3x4x3 ou em 4x3x3 e haverá essa dúvida na cabeça de Fernando Santos até perto do pontapé de saída. «Não consigo saber o que o Joachim [Low] vai fazer. A Alemanha tem oscilado entre as duas formas de jogar. Alinhou antes com quatro na defesa em que um deles era [Emre] Can e três no meio-campo e, mais recentemente, voltou aos três atrás, com dois no meio-campo e três avançados. Se estivermos atentos, o jogo com a França já mostrou nuances, com Kimmich mais a médio e Ginter pela direita na segunda parte. Os jogadores sabem disso, já foram alertados para isso.»

 

O selecionador português não perspetiva grandes alterações na forma de defender: «Não vamos passar a defender homem a homem, vamos manter o nosso padrão defensivo e ter capacidade para ter bola, como fizemos diante da Hungria, que obrigámos a correr. A França jogou muito bem com a Alemanha, saiu muito bem em ataque rápido.»

 

Ao treinador foi pedido para recuar a antigos jogos entre os dois países. «Ganhar à Alemanha era um feito histórico, quase transcendente. Recordo o triunfo com o golo de Carlos Manuel em Estugarda e os três golos do meu grande amigo Sérgio em 2000.»

Ler Mais
Comentários (1)

Últimas Notícias

Mundos