Fernando Santos em entrevista: «Há muito que não entramos para competir, mas para ganhar»

Seleção 03-05-2021 08:52
Por Miguel Cardoso Pereira

Fernando Santos anuncia no dia 20 os convocados para o Europeu. A data que marca a defesa do título de 2016. Em entrevista a A BOLA, o selecionador falou de futebol. Não lhe perguntámos se Portugal era favorito, pela razão de que já sabemos a resposta: sim, claro que é. Se não formos nós, quem será?

 

- Antes do Euro-2016 disse que só voltava a 12 de julho, depois da final. Dá-se a curiosidade de a final do Euro-2020 ser também a 11 de julho, neste caso de 2021. Tem evitado dizer a mesma coisa, fazer a mesma profecia. Porquê?

 

- Não vou repetir isso, não vou. Quero que se repita tudo, claro, se há coisa que eu quero é isso, ganhar! Mas não vou dizer a mesma frase, não vou fotocopiar nada, porque uma cópia nunca é o mesmo que o original. O que eu posso dizer é que há muito tempo que não entramos para competir, mas para ganhar.

 

- A Seleção joga com a Hungria, em Budapeste, com a Alemanha, em Munique - portanto, jogos fora… - e depois com a França, outra vez em Budapeste. Não é propriamente um grupo fácil…

 

- Mas já que estamos a conversar, deixe-me antes ser eu a fazer-lhe uma pergunta: se há uns anos nos tivesse calhado este grupo, o que é que diria?

 

- Eu tenho 40 anos e o que lhe posso dizer é que, quando eu era miúdo ou adolescente, e até já bem depois disso… se nos tivesse calhado um grupo assim eu teria dito logo: já fomos…

 

- Mas agora já não diz isso, diz?

 

- Agora digo o mesmo que dirá um adepto alemão ou francês: é difícil, só isso.

 

- Pronto, e esse é um motivo de grande satisfação para mim e para os jogadores, e todos os outros, que têm trabalhado aqui comigo estes anos: ter levado a que as pessoas, creio que na generalidade, pensem já dessa forma, pois essa é afinal a forma como nós também pensamos.

 

Leia a entrevista na íntegra na edição impressa ou digital de A BOLA

Ler Mais
Comentários (9)

Últimas Notícias

Mundos