Dia inesquecível para Girmay: do sprint antológico ao hospital (vídeo)

Ciclismo 18.05.2022 07:53
Por Fernando Emílio

A 10.ª etapa da Volta à Itália ficou marcada pelo feito histórico de Biniam Girmay, eritreu da equipa Intermarché-Wanty Gobert que, aos 22 anos, se tornou no primeiro africano negro a vencer uma etapa numa grande volta.


Tratando-se de uma tirada teoricamente sem grandes dificuldades, a subida para Monsano, nos derradeiros 9 quilómetros, catalogada como de 4.ª categoria, viria a revelar-se o ponto de partida para a chegada eletrizante que escreveu nova página no ciclismo africano.


Com cinco homens no grupo da frente, a UAE-Team Emirates programou o ataque de Alessandro Covi que partiu o pelotão ao formar grupo de 37 ciclistas e que, juntamente com Formolo,  deram cobertura a João Almeida, o qual, em máxima vigilância às movimentações na cabeça da corrida, principalmente aos principais adversários, viria a finalizar na 9.ª posição.


Num antológico sprint na reta da meta, o mano a mano entre Girmay e Van Der Poel (AFC) terminou com o neerlandês a render-se à força e explosão do africano, o qual Poel se apressou a felicitar com forte abraço pelo triunfo imaculado. Após ter sido o primeiro ciclista africano negro a triunfar na clássica Gent-Wevelgem do World Tour, adivinhava-se que Girmay pudesse vencer, também, uma etapa no Giro por, nas nove anteriores, ter sido segundo, por duas vezes quarto e quinto e demonstrado uma regularidade e poder que se confirmaram na chegada de ontem.



«Isto é inacreditável», começou por dizer o eritreu finda a etapa. «Quando era criança, costumava ver o Giro na televisão com os meus amigos. E sempre que andava de bicicleta tinha o sonho de, um dia, participar numa grande volta. Por isso, vim com vontade de vencer uma etapa. A equipa liderou e controlou a corrida. Entrei na reta da meta na roda de Pozzovivo que me disse para segui-lo. Sentia-me forte e acreditei que poderia vencer Mathieu. Foi um sprint sensacional, não tenho palavras para o que a equipa fez. Sinto-me muito feliz pelo que aconteceu e pelos momentos que estou e viver. Quero dedicar o triunfo à minha família e à minha equipa. Hoje é um dia que fica na história. É o meu primeiro Giro e grande volta na minha carreira. É um momento histórico para todos os africanos e muito emocionante», destacou Girmay, que viria a terminar o dia no hospital.


No momento em que se preparava para o festivo banho de champanhe no pódio, a rolha da garrafa acertou-lhe, em cheio, no olho esquerdo, sendo notório o incómodo vivido pelo jovem eritreu no momento de receber as felicitações e o correspondente prémio de vencedor da etapa. E como as fortes dores no olho persistissem, Girmay teve mesmo de acabar o dia no hospital de Jesi, a ser visto por um oftalmologista. 


A equipa registou o momento em que voltou para festejar com os companheiros, mas não é certo que consiga continuar:




Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias