Recorde para Jimmy Robertson: 178 pontos num só ‘frame’

Snooker 07-12-2021 23:25
Por António Barroso

O inglês Jimmy Robertson, de 35 anos, bateu esta terça-feira um recorde de 22 anos, ao atingir os 178 pontos no quinto ‘frame’ do seu encontro com Lee Walker no Scottish Open, prova da época 2021/22 da World Snooker que decorre em Llandudno (País de Gales) até domingo, a fechar o jogo (4-1) e bater por 11 pontos a anterior marca, que pertencia ao galês Dominic Dale, com um parcial em que terminou com 167 pontos, no Campeonato do Mundo de 1999, em Sheffield (Inglaterra).

 

Se no Crucible, em 1999, Dominic Dale fizera um ponto, mais 44 pontos de faltas do seu adversário para acabar com um ‘break’ (entrada, ou tacada) de 122 pontos, Jimmy Robertson celebrou o novo máximo de pontos no circuito profissional num só ‘frame’ com entrada centenária de 133 pontos a encerrar as hostilidades. Um marco raro e absolutamente notável, de tão invulgar, mas a sublinhar que não só a embolsar se vence: com snookers e a arrancar faltas (mínimo de quatro pontos) aos rivais… também. E quando se juntam as duas vertentes, ataque e defesa, dá recorde.

 

Deste dia, também, a vitória tranquila (4-1) do número um da hierarquia e tetracampeão mundial (2014, 2016, 2017 e 2021), Mark Selby – que defende o cetro conquistado no Open da Escócia em 2020 - diante do compatriota inglês Oliver Lines.

 

Já Ronnie O’Sullivan, número três do ‘ranking’ e hexacampeão mundial (2001, 2004, 2008, 2012, 2013 e 2020), fez jus à alcunha de ‘Rocket’ e foi supersónico a ‘despachar' (4-0) em... estonteantes 37 minutos (!) o compatriota Michael Georgiou: entradas de 68, 88, 72 e 86 pontos, com o rival a anotar… três parcos pontos: dois pontos (duas vermelhas) no primeiro ‘frame’, um ponto (uma encarnada) no segundo parcial. e foi tudo.

 

O’Sullivan, que tem o recorde num jogo à melhor de sete parcias (4-0 a James Cahil em 32 minutos e 24 segundos) volta à mesa na noite de quarta-feira (19 horas) diante do chinês Liang Wenbo, após o que em Llandudno todos voltam a concentrar as atenções em Mark Selby, frente ao chinês Xiao Guodong (20 horas)

 

Já a surpresa desta terça-feira foi a queda do inglês Kyren Wilson, quinto da hierarquia e vice-campeão mundial em 2020) – semifinalista do UK Championship, onde bateu Ronnie 6-5 nos quartos de final – às mãos do veterano irlandês (49 anos) Fergal O’Brien, 76.ª do ‘ranking’, por esclarecedores 1-4 (e esteve 0-3).

 

Quarta-feira, além do ‘Rocket’ na sessão noturna, no Venue Cymru em Llandudno atenções concentradas nos embates do número dois da tabela (e campeão mundial em 2019), o inglês Judd Trump, diante do compatriota Craig Steadman, às 14 horas, no mesmo horário em que o campeão mundial de 2005 e número seis da hierarquia, Shaun Murphy, defrontará o chinês Li Hang. Antes (13 horas) é o tetracampeão mundial (1998, 2007, 2009 e 2011) escocês John Higgins, sétimo do ‘ranking, à mesa, diante do tailandês Noppon Saengkham.

 

O Scottish Open pontua para o ‘ranking’ e irá acabar domingo. Transmitido para Portugal (EuroSport), distribui £405 mil libras (€476 mil) de prémios, das quais £70 mil (€82 mil) ao campeão. Mark Selby venceu em 2020 (9-3 a Ronnie O’Sullivan na final).

 

Recorde-se que até aos oitavos de final os jogos são à melhor de sete ‘frames’: ganha o primeiro a chegar a quatro (de 4-0 a possíveis 4-3). Os ‘quartos’ do Scottish Open são à melhor de nove parciais (até um vencer cinco, de 5-0 a possíveis 5-4), as meias-finais serão jogadas à melhor de 11 ‘frames’ (até um vencer seis, de 6-0 a possíveis 6-5) e a final à melhor de 17 partidas: é campeão do Scottish Open o primeiro a ganhar nove (de 9-0 a possíveis 9-8).

Ler Mais
Comentários (1)

Últimas Notícias