Criado protocolo para gestão de comoções cerebrais

UEFA 17:24
Por Redação

Na sequência da campanha de consciencialização que a UEFA impulsionou em 2019, o novo estatuto foi elaborado pelo comité médico do organismo com o objetivo de reforçar as boas práticas na gestão das comoções cerebrais e afinar os procedimentos em possíveis casos.

 

A UEFA deseja, em comunicado, que todos os clubes e seleções se associem, de forma que mais facilmente possa ser «reconhecido e gerido um traumatismo cranioencefálico».

 

O organismo que gere o futebol europeu idealizou ainda um sistema de análise médica por vídeo, nos Estádios, para uma avaliação «imediata e informada das lesões».

 

Nesse caso, a UEFA pretende agilizar o protocolo com o operador de televisão do encontro, sendo que o serviço de análise médica à distância estaria disponível para todos os intervenientes.

 

«Embora os estudos relatem uma baixa incidência no futebol, todos devem saber como reagir e o que fazer em caso de uma concussão dentro do campo. Ao assinar esta carta, os clubes e Seleções Nacionais vão mostrar o seu apoio às atividades de sensibilização para a concussão da UEFA, um passo significativo para ajudar a proteger os seus jogadores», considerou Tim Meyer, presidente do comité médico da UEFA.

 

A UEFA pediu à FIFA e ao International Board (IFAB), órgão responsável pelas regras do futebol, que seja introduzida no jogo a figura das substituições temporárias ante possíveis casos de comoções cerebrais, para que as equipas médicas tenham mais tempo para uma melhor avaliação das lesões.

 

A IFAB concordou em alargar o período experimental inicial por um ano, com início em agosto de 2022.

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias