Derrotas embaraçosas, competências questionadas e a proteção a Bruno Fernandes

Manchester United 21-11-2021 21:18
Por Redação

A demissão de Ole Gunnar Solskjaer mereceu especial atenção dos media de Inglaterra, que analisaram, ao pormenor, a crise que redundou no adeus do baby-faced killer a Old Trafford.

 

Num trabalho conduzido pelo Times, são recordadas várias derrotas embaraçosas dos red devils – da incredulidade dos dois jogadores do Everton no empate com Cristiano Ronaldo e companhia («Não sei como não ganhámos. Eles estavam f******!») ao desaire no dérbi com o City, passando pela goleada sofrida em casa frente ao Liverpool, que «quase nem motivou celebração no balneário adversário» – com a estrutura do clube a manter a confiança no treinador norueguês.

 

A gota de água foi o desaire estrondoso (1-4) na deslocação ao terreno do Watford, na tarde de sábado, com o técnico a ser informado da decisão na manhã de hoje. Uma medida inevitável, segundo o jornal inglês, perante a realidade dos factos: «Uma das melhores equipas da Europa está no 8.º lugar da Premier League.»

 

Pelo meio da constatação de que «o clube não era um lugar feliz há muito tempo», lê-se uma opinião de um representante de um jogador, que considerava Solskjaer «boa pessoa, mas um técnico que faz bons jogadores parecerem medianos». E até uma alegada confissão de um atleta do plantel a um amigo íntimo, considerando que o nórdico «simplesmente não está à altura».

 

A perspicácia tática de Solskjaer é questionada, assim como as competências dos seus colaboradores. As memórias dos seus feitos são equiparadas «às de uma equipa intermédia da Premier League» e também corre uma versão que o dá como muito leal a Bruno Fernandes, o que também lhe valeu várias críticas.

 

A sua escolha para o cargo, acrescenta o Times, terá sido uma decisão imposta pelas emoções, já que Mauricio Pochettino seria o favorito do ex-vice-presidente Ed Woodward, que também admirava Julian Nagelsmann e Thomas Tuchel.

Ler Mais
Comentários (23)

Últimas Notícias