«Vou correr para a amarela!»

Ciclismo 09:54
Por Fernando Emílio

Chegou a hora das decisões na Volta ao Luxemburgo, com o contrarrelógio de 25,4 km de hoje em Dudelange, muito ondulado, a encaixar muito bem no perfil dos especialistas na disciplina.

 

«Espero estar num bom dia, com as pernas a corresponder às ordens da cabeça e aos meus desejos, porque vou correr para conquistar a camisola amarela e motivação não me vai faltar. Só amanhã [hoje] de manhã farei o reconhecimento do percurso, ainda que já tenha uma ideia, embora no local possa sempre ser diferente», antecipou João Almeida a A BOLA, após manter o 2.º lugar na geral ao ser ontem o 20.º na meta, já com a concorrência escrutinada. «Se não existirem surpresas, o Marc Hirschi, que está a 4 segundos, será o principal. Porque não estou a ver os restantes com possibilidades de lutarem pelas primeiras posições, nem mesmo Mollema, embora na minha equipa o Cattaneo, que faz um bom contrarrelógio, possa lutar pela vitória na etapa. O facto de partir à frente do camisola amarela não me incomoda, porque o importante é ter pernas para ser melhor do que ele», frisou o português finda a tirada de ontem, «feita a grande velocidade e num rimo bastante forte, diferente da anterior porque deu para recuperar mais um pouco, uma vez que nesta altura da época a fadiga já pesa», concluiu.

 

De transição e menor grau de dificuldade, os 189,3 quilómetros da 3.ª etapa que ontem ligaram Mondorf-Les-Bains a Mamer nada alteraram na geral da prova luxemburguesa, mantendo Marc Hirschi (UAD) a camisola amarela, seguido de João Almeida (DQT) a 4 segundos. Com o sol por companhia, a expetativa e a emoção mantiveram-se até ao último quilometro, quando os fugitivos foram engolidos pelo pelotão devido ao trabalho das equipas com homens mais rápidos. O’Connor (ACT), De Buyst (LTS), Kirsch (TFS), Walsleben (AFC), Desal BWB) e Van Rooy (SVB) mantiveram boa parte do percurso a vantagem cifrada entre os três e os quatro minutos, esfumada com o aproximar da meta.

 

Na chegada, massiva, o italiano Sacha Modolo (AFC) foi o mais rápido e voltou às vitórias três anos e sete meses após a vitória na 3.ª etapa da Volta a Andaluzia, razão da emoção final. Já o espanhol Jon Aberasturi, da Caja Rural, foi expulso da corrida por postura antirregulamentar na bicicleta na 2.ª etapa, além de multado em 500 francos suíços (460 €) e penalizado em 15 pontos UCI.
 

Ler Mais
Comentários (10)

Últimas Notícias

Mundos