Orçamento para 2021/22 foi aprovado

Liga 29-06-2021 13:30
Por Redação

A Assembleia-Geral da Liga de Clubes, que reúne todas as Sociedades Desportivas dos dois principais escalões do futebol português, reuniu-se, esta segunda-feira em Assembleia-Geral. O objetivo passava pela aprovação do Orçamento e Plano de Atividades para 2021/22.

 

Através de uma nota, o organismo liderado por Pedro Proença fez saber que o documento foi aprovado, com apenas dois votos contra. Ficou ainda reiterado o empenho no regresso dos adeptos aos estádios na próxima época e foi apresentado um novo modelo de consultoria para as Sociedades Desportivas.

 

Leia o comunicado na íntegra:

 

«A Liga Portugal reuniu em Assembleia Geral Ordinária, ao abrigo do disposto na alínea a), do n.º 2, do artigo 38.º, da alínea a), do n.º1, do artigo 39.º, do n.º 1, do artigo 41.º e dos n.os 1 e 2, do artigo 42.º dos Estatutos da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (Estatutos) e em conformidade com as condições definidas pela Direção Geral de Saúde.

 

As Sociedades Desportivas que estiveram presentes no auditório João Aranha, na sede da Liga Portugal, aprovaram, com apenas dois clubes contra, o Orçamento e o Plano de Atividades para a época 2021-22, apresentado pela Direção da Liga face à situação pandémica que o país ainda vive e que marcou definitivamente a época que está prestes a terminar.

 

A Liga Portugal vive ainda, e desde 2015, sob o espectro de passivos contingentes no valor de €35M, o que levou a extremo cuidado na apresentação deste Plano de Atividades e Orçamento. As perdas causadas pela COVID-19 ainda estão por calcular, mas, certamente, superarão os €200M de quebra nas receitas das Sociedades Desportivas do Futebol Profissional, numa época em que o Futebol Profissional continua sem respostas a um conjunto de medidas pedidas ao Executivo governamental e reforçadas para atenuar os prejuízos nos clubes.

 

As 24 Sociedades Desportivas presentes aprovaram um resultado operacional previsto de €1,102M positivo, mas ficaram conscientes de que, em 7 anos desta Direção Executiva, este será o Plano de Atividades mais desafiante dos dois mandatos de Pedro Proença, apesar de ser o sétimo com resultados operacionais positivos.

A imprevisibilidade do processo pandémico leva a alguma indefinição em tudo o que poderá vir a ser a nova época, bem como alguma instabilidade económica que se vive na área comercial e que afeta os patrocinadores, tal como não deverá ser excluída a fragilidade da economia que a União Europeia prevê na evolução do PIB.

Com a fase de maturidade da Liga atingida, e após o primeiro mandato marcado pela consolidação e desenvolvimento, as Sociedades Desportivas ficaram cientes daquelas que são as maiores apostas desta Direção no quadriénio 2019-23. A aposta nas novas tecnologias, o aumentar do número de adeptos nos estádios, proporcionando-lhes condições para isso, a adaptação a um novo modelo de governação e a formação contínua dos agentes desportivos são projetos macro, aos quais se junta um dos mais importantes e que passa claramente pela continuidade de internacionalização da Liga Portugal.

 

No que diz respeito em exclusivo à próxima temporada, a Direção da Liga Portugal, comprometeu-se a continuar o empenho de meses seguidos naquilo que será o regresso progressivo dos adeptos aos estádios e apresentou o novo modelo de consultoria às Sociedades Desportivas, que passam, agora, a ter outros meios cedidos pela instituição para alavancar algumas das suas ideias e concretizar projetos.

 

A Direção da Liga Portugal deixou ainda expressa a vontade de apostar fortemente nos produtos oficiais na nova temporada, tal como no arranque da construção do novo edifício Sede da Liga Portugal, tal como foi aprovado em setembro de 2020.

 

A finalizar, os clubes aprovaram, também, a implementação da norma ISO 37001 que define a "Politica Anticorrupção" e o "Código de Transparência Anticorrupção", que entrará em vigor na Liga Portugal já no mês de julho.»

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias

Mundos