João Carlos fez algo nunca visto em Portugal

Liga 2 19.05.2022 08:57
Por André Azevedo

João Carlos fez algo nunca visto em Portugal. O avançado conseguiu o feito de, mesmo com a equipa a descer de divisão como última classificada, ser o melhor marcador da Liga 2. O brasileiro apontou 17 golos, quase metade  dos marcados pela Académica (35) e  teve o seu ponto alto na jornada 12, quando fez um hat-trick na receção ao Covilhã. Teria ainda um bis ao Benfica B, na ronda 26.


Quem mais se aproxima do feito de João Carlos é Cássio, outro brasileiro. Na época 2005/2006, o avançado, melhor marcador dessa temporada, começou no Maia, emprestado pelo Corinthians, onde fez oito golos, mas a meio da época transferiu-se para o Chaves, onde marcou mais 12 vezes, acabando com 20 golos. Nessa temporada, o Maia acabou na última posição. Na Liga também não existe registo igual, apenas parecidos. Getov, com 15 golos, foi o terceiro melhor marcador da prova em 1989/1990, atrás de Magnusson (Benfica, 33) e Rui Águas (FC Porto, 17), com o Portimonense a descer de divisão, mas não no último lugar. Meyong em 2005/2006, no Belenenses, venceu o prémio de melhor marcador com 17 golos, à frente de Nuno Gomes (Benfica) e João Tomás (SC Braga), ambos com 15. Os azuis asseguram o 15.º lugar, último da manutenção.


Se a nível coletivo não foi uma boa época para a Académica, a nível individual foi a melhor  de sempre de João Carlos. «É um pouco estranho, muita gente pergunta como foi possível eu ser o melhor marcador e a minha equipa ter descido. Sempre trabalhei e agora estou a colher os frutos de ser o melhor marcador da Liga 2. Estou muito feliz por esta minha conquista», diz a A BOLA o brasileiro de 27 anos.


João Carlos ficou feliz pela boa época que conseguiu em Coimbra, mas triste porque a Académica desceu pela primeira vez ao terceiro escalão do futebol português.


«É muito triste. Acredito muito e sempre acreditei até ao último jogo que tal não aconteceria. Não sou de desistir facilmente, mas o futebol é isto. As coisas acontecem e nós não podemos prever. A Académica ganhou um adepto, o que lá vivi vai ficar marcado para sempre na minha história. Tenho a certeza de que eles vão voltar rápido para a Liga 2», acredita o brasileiro que esteve cedido pelo Estoril aos estudantes.


Leia mais na edição digital ou na edição impressa de A BOLA.

Ler Mais
Comentários (1)

Últimas Notícias