«Temos que trabalhar e melhorar, de forma segura e comprometida» - João Carlos Pereira

Liga 2 01-10-2021 14:53
Por Eduardo Pedrosa Marques

A Académica somou, no passado sábado, e ao fim de oito jogos oficiais, a primeira vitória da época. No caso, os estudantes derrotaram o Alpendorada (2-1, após prolongamento), numa partida referente à 2.ª eliminatória da Taça de Portugal.

 

No Campeonato, refira-se, a Briosa ainda não encontrou o caminho dos triunfos, somando, até à data, dois empates e quatro derrotas. O mau arranque na Liga 2 oferece aos capas negras o último lugar da tabela classificativa, algo que, naturalmente, João Carlos Pereira pretende reverter. E, se possível, vencendo já o Académico de Viseu, adversário da 7.ª jornada, e cujo duelo está agendado para as 14 horas deste sábado, no Estádio Municipal de Aveiro.

 

«Vamos defrontar um adversário de qualidade, que não começou tão bem a época, mas que, entretanto, já começou a fazer mais pontos. O Académico de Viseu é uma equipa que tem a sua forma de jogar e nós temos que estar preparados para isso. Claro que as vitórias ajudam a aumentar a confiança e acho que, para nos tornarmos mais confiantes, temos que aumentar a nossa competência. Temos vindo a trabalhar nisto e o objetivo é sempre ganhar. Precisamos de fazer pontos e temos que encarar também este jogo com esse tipo de ambição. Queremos ser uma equipa que consiga tomar as melhores decisões no jogo, com bons posicionamentos e que entenda melhor os momentos do próprio jogo. A tabela classificativa não mente e temos que olhar para ela de forma realista e objetiva. Precisamos de somar pontos para sairmos desta posição. Primeiro há que olhar para o processo, perceber o que temos que melhorar, e ir de forma segura e comprometida».

 

Tendo consentido golos em todas as oito partidas já realizadas (16 sofridos e 9 marcados), uma das questões levantadas prende-se, precisamente, com o mau desempenho defensivo. Mas João Carlos Pereira, que enfrenta a situação de frente, prefere destacar o coletivo e não apenas o último reduto. «Problemas defensivos? Olho para isso como o maior desafio. É preciso dotar a equipa de maior qualidade defensiva. Não acredito em defender mais, acredito em defender melhor. E temos trabalhado nesse sentido. Acho ainda que é demasiado superficial atribuir a responsabilidade à linha defensiva. No fundo, e porque o futebol é um jogo coletivo, defendemos todos e atacamos todos», comentou.

 

Outra dos temas aflorados pelo técnico academista prende-se com a situação de Fábio Fortes. O ponta de lança, reforço da Briosa para esta temporada, participou apenas num jogo – diante do Portimonense, para a Taça da Liga, no dia 23 de julho – e, daí para cá, não mais voltou a jogar. Nem com Rui Borges, primeiro, nem com João Carlos Pereira. «Sei que o jogador, neste momento, está impossibilitado, mas não posso dar detalhes porque não está no meu leque de responsabilidades. Só espero que a coisa se resolva rapidamente para termos o jogador para dar o seu contributo», finalizou.

 

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias

Mundos