Incêndio ´custa` 800 euros ao Boa-Hora

Andebol 18-10-2021 08:27
Por Célia Lourenço

Um dia depois do susto de morte por ter visto uma das duas carrinhas alugadas para a deslocação ao FC Gaia ficar carbonizada em minutos, a direção do Boa-Hora FC falou com a A BOLA sobre os transtornos que um jogo adiado causa na engrenagem de um clube que já luta por se manter no Andebol 1 e no dia a dia dos seus jogadores que vivem de empregos fora do andebol, honrando, ainda assim, o lema os tais que nunca desistem.


«Vamos ter de jogar a uma quarta-feira e vai ser difícil assegurar que os jogadores estejam disponíveis. Há que lembrar que 80 por cento da nossa equipa tem uma vida profissional que não é o andebol. Isto acontece connosco e com a maioria, refira-se, dos clubes que não FC Porto, Benfica e Sporting. Vai ser difícil pedir aos jogadores que faltem ou emprego ou às aulas», explicou João Alvarez, vice-presidente desportivo do Boa-Hora.


Este incidente e o consequente adiamento do jogo também implicam custos. «Vamos ter mais um encargo financeiro com  aluguer, combustível, portagens, alimentação. Normalmente, cada deslocação custa entre 700 e 800 euros, temos dez por época ao Norte, logo, para lá jogar, precisamos de 7 ou 8000 euros. 

 

Leia mais na edição impressa ou digital de A BOLA

 

 

Ler Mais
Comentários (2)

Últimas Notícias

Mundos