Real Madrid perdeu 500 milhões de euros em dois anos

Desporto 13:21

Em relação à crise, o presidente do clube lembrou que "em junho termina a temporada e a KPMG dá os resultados", e nesta temporada "os grandes clubes vão perder centenas de milhões de euros".

João Tereso Casimiro

O presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, fez contas às perdas do clube madrileno devido ao impacto económico da Covid-19. Segundo Pérez, o Real Madrid perdeu 500 milhões de euros em dois anos, o que implicou uma investimento de 900 milhões de euros durante o mesmo período para colmatar as perdas, avança o portal “Palco 23”.

O líder do Real Madrid não hesitou em responder a Javier Tebas, presidente da La Liga, que garantiu no início desta semana que “o Real Madrid é o clube europeu que melhor administrou a pandemia”. Para Florentino, o presidente “disse isso porque eu disse que o futebol estava a morrer”, mas o clube da madrileno também teria sofrido mais com a pandemia se não fosse “a generosidade dos jogadores que nos permitiu terminar numa situação satisfatória”.

Em relação à crise, o presidente lembrou que “em junho termina a temporada e a KPMG dá os resultados”, e nesta temporada “os grandes clubes vão perder centenas de milhões de euros”. “Quando digo que estão falidos, quero dizer porquê”, e embora “a maioria esteja falido, alguns não estão”. Em todo caso, “perdemos tudo em dinheiro: os maiores perdem mais, mas os pequenos também perdem”.

Florentino Pérez voltou a defender a Superliga Europeia. “Porque é que a UEFA tem que nos gerir? Isso não acontece na NBA, nem em torneios de ténis, nem em torneios de golfe”, questionou-se. “A Superliga foi criada para que os clubes de maior impacto possam jogar e haja espaço para todos”, defendeu.

“As equipas com mais seguidores, os que mais geram, têm que jogar. Os restantes também encontrarão lugar”, acrescentou, explicando que“ Sevilla e Villarreal, por exemplo, poderão vir a ter lugar na Superliga”. “Partimos da história que cada um tem”, disse, lembrando que “o público está a diminuir e teremos que começar pelos clubes com mais adeptos”.

Além disso, Florentino sublinhou que “o juiz diz que não se pode jogar na Superliga”. “O Ministério da Justiça suíço disse à UEFA que a Superliga não pode ser disputada” e “agora a justiça luxemburguesa tem de responder, que é como o Tribunal de Justiça Europeu”.

Em todo o caso, “existe um acordo vinculativo e a Superliga continua”, apesar de “nos ameaçarem para proteger a sua situação dominante e as equipas inglesas caíram sob esta coerção da FIFA”.

Perdemos oito mil milhões de euros e Ceferin (presidente da UEFA) aumentou o seu salário”, lamentou, lembrando que“ há pessoas com privilégios e querem continuar a mantê-los”. A UEFA “já nos queria expulsar da Liga dos Campeões, mas os tribunais proibiram.”

Em relação ao novo Santiago Bernabéu, fixou uma data para a conclusão das obras. “Até ao final do próximo ano esperamos que esteja tudo acabado”, detalhou, garantindo que “o público entrará quando puder porque a obra está pensada para continuar enquanto é ultimada” e apostando nisso “nós estamos preparados para que esta temporada o público já possa assistir os jogos do nosso estádio”, após a decisão do governo de eliminar as restrições sobre a presença de público nos recintos desportivos.

Por fim, Florentino explicou que “estamos muito entusiasmados com a equipa feminina, tem sido um grande ano que nos dá a oportunidade de enfrentar a eliminatória da Champions”.

Ler Mais