SL Benfica e FC Porto entre os 32 clubes mais valiosos da Europa

Desporto 27-05-2021 14:29

O clube mais valioso da Europa, pelo terceiro ano consecutivo, continua a ser o Real Madrid FC com um valor empresarial de 2,9 mil milhões de euros.

João Tereso Casimiro

Os clubes portugueses SL Benfica e FC Porto figuram entre os 32 emblemas mais valiosos da Europa, segundo o estudo ‘Football Clubs’ Valuation: The European Elite 2020′ elaborado pela KMPG. As ‘águias’ ocupam a 25ª posição, recuando uma posição face a 2019, e os ‘dragões’ voltam a marcar presença no ranking três anos depois na 29ª posição.

A KPMG atribui às ‘águias’ um valor de empresa (enterprise value) de 349 milhões de euros, menos 14,9% em relação a 2019. O FC Porto é o segundo representante português entre a elite europeia e, três anos depois da ultima aparição nesta lista, regressa na 29ª posição com um valor empresarial de 252 milhões de euros, o que representa uma desvalorização de 19,6% face a 2019.

O clube mais valioso da Europa, pelo terceiro ano consecutivo, continua a ser o Real Madrid FC com um enterprise value de 2,9 mil milhões de euros. Segue-se o FC Barcelona com um valor empresarial de 2,8 mil milhões de euros com o Manchester United FC a encerrar o pódio com um valor de 2,6 mil milhões de euros.

Apesar do domínio espanhol no topo do ranking, são os clubes do Reino Unido que contabilizam mais presenças, um total de oito emblemas – ao Manchester United, juntam-se o Liverpool (2,2 mil milhões de euros), Manchester City (2,1 mil milhões de euros), Chelsea (1,8 mil milhões), Tottenham (1,7 mil milhões de euros), Arsenal (1,4 mil milhões de euros), Everton (455 milhões de euros) e Leicester (424 milhões de euros).

Outra das conclusões do estudo da KPMG prende-se com a perda de receita dos principais clubes. Pela primeira vez em 10 anos, as receitas das equipas nas principais ligas europeias diminuíram na temporada 2019/20, após nove épocas consecutivas em crescimento. A queda de 11% é equivalente a um corte de receita de 20,4 milhões de euros.

Da lista dos 32 clubes europeus disponibilizada pela consultora, apenas sete encerraram o exercício de 2019/20 em terreno positivo, número muito distante dos vinte que alcançaram o mesmo marco na temporada anterior.

O diretor global de desporto da KPMG, Andrea Sartori, defendeu que “o futebol de hoje precisa de uma revisão governamental, da redistribuição do poder ou da redução do tamanho das ligas”.

Ler Mais