«O Jesualdo ajudou-nos a apostar na prova»

Santos 30-01-2021 09:08
Por João Almeida Moreira, correspondente no Brasil

Quando chegou ao Santos, em agosto, o treinador Cuca encontrou um clube com salários em atraso e em convulsão política - mas com o caminho na Libertadores, graças às duas vitórias sob o comando do antecessor, o português Jesualdo Ferreira, pavimentado.

 

Dessa forma, sem um plantel vasto, decidiu colocar o Brasileirão em segundo plano e apostar na prova. «Via Jesualdo eu já tinha duas vitórias na prova, então decidi que o nosso caminho seria a Libertadores e não o Brasileirão, porque  sabia que não tínhamos plantel para uma prova com 38 jornadas, com Covid-19 pelo meio, com muitos meninos recém-chegados aos profissionais, por isso, apostámos na prova em mata-mata», explicou o treinador.

 

O Santos não era, portanto, um dos favoritos no início da prova. Mas conquistou esse estatuto: «Ganhámos em casa do Defensa y Justicia, ainda com o Jesualdo, uma equipa que viria a conquistar a Copa Sul-Americana, na do Delfín, na do Olimpia, os únicos empates fora de casa foram no Grêmio e no Boca... Agora vamos medir forças em campo neutro, num jogo sem favoritos», disse.

 

Sobre o treinador rival, Abel Ferreira, não ter títulos, foi claro: «Mas vai ter, e muitos, aos 57 anos, que é a minha idade, porque é ótimo treinador.»
 

Ler Mais
Comentários (4)

Últimas Notícias

Mundos