Campeão marcou mais porque criou melhor

LIGA 20-05-22 10:27
Por Mário Rui Ventura

Campeão com recorde de pontos (91) no campeonato, o FC Porto liderou igualmente no capítulo estatístico. Além da melhor defesa, com 22 golos sofridos, menos um que o Sporting, disparou nos golos marcados, com 86, mais oito que o Benfica, terceiro classificado.Ainda assim, olhando à classificação geral e, depois, num olhar aos ataques dos 18 clubes que competiram no principal escalão, salta à vista, por exemplo, o Tondela, finalista da Taça de Portugal mas penúltimo e, por isso, com descida de divisão confirmada, ser o oitavo melhor ataque da competição, com 41 golos marcados, tendo à sua frente apenas os três grandes, o SC Braga, o V. Guimarães, o Gil Vicente e o Famalicão. Em sentido contrário, o Estoril, uma das sensações da época, fechou a temporada no 9.º lugar mas apenas com 36 golos marcados, o 13.º melhor registo. O pior ataque, no entanto, revela exatamente o mesmo do melhor: o Belenenses SAD, último classificado, foi também aquele que menos golos marcou.Voltando ao campeão FC Porto, os dragões lideram, não só nos golos marcados, como nos toques na área contrária, bem como no número de remates por jogo. Em sentido contrário, a formação orientada por Sérgio Conceição foi das que menos faltas sofreu ao longo do campeonato - apenas 11,84, em média, por jogo -, e também das que menos vezes caiu no fora de jogo: 1,32 de média a cada 90 minutos.Apesar do terceiro lugar alcançado no campeonato, o Benfica consegue vários topos no que à estatística atacante diz respeito. Além de ter terminado como o segundo melhor ataque, tendo conquistado o troféu individual de A BOLA de Prata, por Darwin Núñez (26 golos), os encarnados foram a equipa que mais duelos ofensivos travou, em média, por partida, bem como a equipa que mais cantos a favor contabilizou: 189. Desses, porém, só 41 resultaram em remate. O Benfica foi também a equipa que mais dribles teve por partida (32,40, em média), a segunda que mais cruzamentos teve mas, curiosamente, a segunda que menos livres diretos beneficiou - a última, surpreendentemente, foi o Sporting.O leão, de resto, foi quem mais cruzamentos tirou por jogo (18), quem mais foras de jogo contabilizou (2,32, em média) e, a par do V. Guimarães, a equipa que mais beneficiou de penáltis: 11, concretizando nove.elixir da juventudeLeia mais na edição impressa ou na edição digital de A BOLA