Internacional brasileiro despedido por comentários sobre nova orientação sexual do Super-Homem

VOLEIBOL 28-10-21 3:14
Por Redação

Autor de um comentário considerado homofóbico a propósito da nova orientação sexual do Super-Homem, o jogador de voleibol Maurício Souza, internacional brasileiro, foi despedido pelo clube que representava.

«O Minas Ténis Clube informa que o atleta Maurício Souza não é mais jogador do clube», podia ler-se na página do clube na rede social Twitter, sem justificar a razão que esteve na origem da rescisão contratual.

A decisão deveu-se à contestação, feita por adeptos, colegas e patrocinadores do clube, à publicação de Maurício Souza, a 12 de outubro, na qual anexa uma imagem do Super-Homem a beijar o repórter da história.

«Ah, é só um desenho, não é nada demais. Vai nessa que vai ver onde vamos parar», escreveu no Instagram.

Sobre a demissão, Maurício Souza negou ser homofóbico, garantindo respeitar as mais variadas orientações sexuais.

«Apenas defendi aquilo em que acredito e dei uma opinião. Obrigado a todos que pensam como eu. Não estou sozinho nesta luta. O que eu não quero é que seja luta: quero que seja opinião», afirmou o jogador, de 33 anos.

Segundo a imprensa brasileira, o Minas Ténis Clube foi forçado, sobretudo pelos patrocinadores, a demitir Maurício Souza.

Inicialmente, o clube solicitou-lhe apenas que se desculpasse publicamente pelo comentário publicado na Internet.